EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

Eficiência Energética

A energia é indispensável ao nosso quotidiano e a sua utilização eficiente é vital para a competitividade do nosso país. Desde o período da revolução industrial que o consumo energético em Portugal e na Europa tem vindo a crescer a ritmo elevado.

O aumento da produção energética, maioritariamente proveniente de fontes fósseis (petróleo, gás, carvão), resultou numa inevitável necessidade de enfrentar os grandes desafios energéticos colocados pelas alterações climáticas, a dependência crescente das importações, a pressão exercida sobre os recursos energéticos e o abastecimento seguro de energia a preços acessíveis a todos.


Com efeito, no âmbito da estratégia europeia energia-clima, também conhecida como “pacote 20-20-20”, os estados-membros comprometeram-se a, até 2020:

- Reduzir em 20% as emissões de gases com efeito de estufa, face aos valores de 1990;

- Aumentar para 20% a quota de energias renováveis no consumo final bruto de energia;

- Aumentar a eficiência energética em 20%, face a um cenário de crescimento do consumo “business as usual” e tendo como referência o ano de 2007.

Estes dois últimos compromissos, em particular, impõem para Portugal os seguintes objetivo:

- 31% do consumo final bruto proveniente de fontes de energia renováveis e 10% de incorporação de renováveis no setor dos transportes (biocombustíveis);

- Redução de 25% no consumo de energia primária e, especificamente para a Administração Pública, redução de 30%.

Pela Resolução do Conselho de Ministros nº 20/2013, de 10 de abril, o governo aprovou os dois instrumentos de planeamento energético que permitirão alcançar os objetivos referidos. São eles o Plano Nacional de Ação para a Eficiência Energética para o período 2013-2016 (Estratégia para a Eficiência Energética – PNAEE 2016) e o Plano Nacional de Ação para as Energias Renováveis para o período 2013-2020 (Estratégia para as Energias Renováveis – PNAER 2020).


O que é a Eficiência Energética?

Para trabalho/tarefas iguais utilizar menos ou o mínimo de energia possível, ou seja, a eficiência energética aumenta quando, através da mudança de rotina, para a mesma tarefa e para atingir os mesmos resultados, se reduz o consumo de energia.

 

Fonte: Professor Dr. Gonçalo Xufre & Professor Dr. José Igreja, ISEL, 2010